quarta-feira, 12 de maio de 2010

Pegando Emprestado

Faz muito, muito tempo que não escrevo. Ando realmente sem tempo, o trabalho tem me consumido bastante.
Bom, em virtude disso vou colocar aqui, pra deleite de vocês, dois textos de um amigo – o nome dele é... como é mesmo o nome dele?! Herbert!! Mas ele gosta de ser chamado de Herb, Herb Ramirez.
Conheci essa figura lá na Telefônica. Convivemos muito pouco, na verdade, mas foi o suficiente para acharmos muito em comum (musica literatura, melancolia, introspecção, enfim). Embora nossa convivência tenha sido rápida, nunca deixamos de manter contato (virtual rsrs).
Herb possui um blog, o The Morning After. Os dois textos estão lá também. Tô tentando convencer o moço a escrever um livro, na verdade ele quer, só falta o planejamento rsrs.
Chega de conversinha, ai vão os textos!


NÚMERO 2

Tentar ser claro, com a clareza que me cega
Algo como ser flor sem perfume.
É o mesmo que tentar se bronzear
Com a Luz de um vaga-lume.

Já tentei ser como o vento
Que em silêncio traz o sabor de muito longe
Mas ao contrario só pude ser como o sol de inverno
Que só aquece quando queima

Não quero mais pensar em quanto tempo perdi
Tentando dizer aquilo que me seca a boca.
Ou desenhar aquilo q não pude imaginar
Ao fechar meus olhos ao me deitar.

Seguindo sombras, dançando com o vento
As vezes se torna difícil saber a velocidade que a vida passa
Enquanto decidimos se vale a pena ou não
Se entregar como deveríamos ao saber que é real

Estamos felizes enquanto somos nós
Não mudaremos enquanto pudermos ser apenas nós
Sem pressa de chegar a algum lugar
Só não quero ficar parado
Enquanto tudo passa diante de meus olhos
Escapando por entre meus dedos


Vidros quebrados se tornam os diamantes
De nossos sonhos, sem medo
Poderíamos nós agora ser o sol
Que aquece as frutas caídas no chão?



ESTAREI POR PERTO!

O sonho quando é maior que o sono, sonha por si só.
O meu sonho sonha só sem ser sozinho
Quem me julga só me ajuda a ser quem eu não sou
Um passo a frente, algo para trás
Se um dia é pouco para ser, serei todo dia o que sou.
Julgue-me, jogue-me, jure-me.
Ainda assim estarei ao lado
De quem não tem medo de estar do meu lado.
Coração alado bate assas com a mão;
Desenhos pintados com carvão;
Chocolates da rodoviária;
Declaração de amor diária;
O sorriso perfeito e o kokoro ao pé do ouvido;
-Pra quem ama isso faz todo o sentido.

E como diria o Rei: Sobre amar e ser amado eu sei tudo!

segunda-feira, 8 de março de 2010

Mulher




Faz tempo que eu não coloco nada aqui. Como já previa, foi só começar as aulas na faculdade e eu fiquei sem tempo pra outras coisas, mas vou tentar está sempre por aqui, na medida do possível.
Hoje comemoramos um dia muito especial: o dia internacional da mulher!!
No dia 8 de março de 1857, operárias de uma fabrica de tecidos de Nova Iorque fizeram uma grande greve. Reivindicavam melhores condições de trabalho, como redução na carga horária de 16 para 10 horas diárias e equiparação de salário com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem). A manifestação duramente reprimida e as mulheres foram trancadas dentro da fabrica, que foi incendiada. Cerca de 130 operarias morreram.
Somente em 1910, na II Conferencia de Mulheres Trabalhadoras, realizada na Dinamarca, foi instituido o dia 08 de março como o dia Internacional da Mulher. A data foi oficializada pela ONU em 1975, através de um decreto.
Desde então muito se conquistou, mas as mulheres ainda são vitimas de muito preconceito e violência, há muito para se avançar ainda. A lei Maria da Penha, do ponto de vista jurídico, foi um grande avanço, mas não garantiu a diminuição da violência contra as mulheres. Recentemente vimos o caso de Maria Islaine, em Minas Gerais, que após ter feito oito boletins de ocorrência contra seu ex marido, foi morta a tiros por ele em seu local de trabalho.
A mulher tem sempre que mostrar algo a mais pra provar que é capaz. Trabalho num ambiente predominantemente masculino e percebo isso todos os dias. A gente tem sempre que superar expectativas pra ser bem vista. Mas não tem problema não, vamos dominar o mundo assim mesmo!!!
Bom, pra não perder o habito, vou deixar uns poemas sobre o mundo feminino. Até a próxima!


Profissão: Mulher

Ana C. Pozza

Do lar?!
Só se for dinheiro
Recheando a minha carteira!
Eu sou mulher!
Mulher por inteiro.
Mulher inteira.
Prefiro ser
Louca,
Des-va-i-ra-da
A ser
Isaura,
Mulher escravizada!


Ser mulher

Gilka Machado

Ser mulher, vir à luz trazendo a alma talhada
para os gozos da vida, a liberdade e o amor,
tentar da glória a etérea e altívola escalada,
na eterna aspiração de um sonho superior...
Ser mulher, desejar outra alma pura e alada
para poder, com ela, o infinito transpor,
sentir a vida triste, insípida, isolada,
buscar um companheiro e encontrar um Senhor...
Ser mulher, calcular todo o infinito curto
para a larga expansão do desejado surto,
no ascenso espiritual aos perfeitos ideais...
Ser mulher, e oh! atroz, tantálica tristeza!
ficar na vida qual uma águia inerte, presa
nos pesados grilhões dos preceitos sociais!

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Laços de família



Muitas vezes a gente reclama da família, das brigas com os irmãos, da falta das coisas que a gente queria ter e nossos pais não nos deram. Tava lembrando da minha infância, do caminho que andei até chegar aqui. Percebi que devo tudo do que eu sou hoje aos meus pais.
Vou citar um exemplo do que eu to falando. Hoje eu to na USP, a faculdade que eu sempre persegui desde que tomei conhecimento dela. Meus amigos mais antigos sabem que isso era uma fixação na minha vida. A realidade, claro, é bem mais complexa. A gente sofre muito naquela universidade, mas como eu não penso num lugar melhor onde poderia está, posso dizer que sou um pouco masoquista, pois sou feliz por está lá, mesmo sofrendo!
Posso afirmar que se não fosse o inconformismo do meu pai, a vontade de querer melhorar sempre, um certo desassossego, uma inquietude, acho que nunca teríamos saído do interior do Maranhão para São Luis e de lá para São Paulo. E talvez hoje não seria quem sou, não estaria onde estou. Os meus amigos de infância que lerem isto vão saber do que eu falo. Sair de um cotidiano de pobreza, com todas as limitações que ela te impõe não é fácil.
Sempre que eu pergunto pra alguém que é pai ou mãe como é ser isso eles me respondem que é um amor diferente de todos os outros, que vivem em função dos filhos. Acho que esse é um dos motivos de eu não querer ser mãe, pois sei que jamais serei como os meus pais, acho que não seria capaz de fazer por alguém o que meus pais fizeram por mim e por meus irmãos.
Sei que eles devem ter lá suas frustrações, com certeza gostariam de ter feito mais ainda. Acho que só quem é pai ou mãe sabe dizer que amor é esse que faz alguém viver em função do outro. Eu nem consigo mensurar o que seja isso.
Claro que tem muita coisa que eu gostaria de ter tido, muita coisa que eu gostaria de ter feito, muitas outras gostaria que fossem diferentes (se as coisas acontecessem sempre como a gente imagina, a vida perderia um pouco de sua graça). Mas como não imagino minha trajetória com um momento atual tão bom, sei que devo muito aos meus pais e espero poder retribuir um pouquinho que seja.
Acho que nossa vida depois dos 20 anos é sim fruto exclusivo das nossas decisões, mas acredito que dos 20 anos pra trás somos, basicamente, resultado das decisões dos nossos pais.
Ainda não agradeci meu pai pelo seu desassossego e inquietude, farei isso o quanto antes. Mas acho que eles sabem que se hoje eu estou onde estou, independente, caminhando sozinha, é por causa da “teimosia” deles. Como disse a mãe do nosso presidente “é só teimar que dá!”.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Sensações



Às vezes quando me pego olhando pra alguém e me pergunto que experiências ela já viveu, que circunstancias a levaram ao lugar em que ela se encontra? O que liga umas pessoas as outras? Que características determinam maior ou menor afinidade em relação a alguém?
Difícil dizer. Às vezes as semelhanças nos unem. Outras vezes os antagonismos são tão extremos que deixa tudo mais interessante. Cada pessoa é tão singular que chega a ser injusta as generalizações que muitas vezes fazemos.
Difícil entender o que torna uma pessoa especial. Alguém que você até conversa, mas nunca viu, que nunca sentou do seu lado, nunca olhou nos seus olhos, nunca riu com você. Mas de alguma forma você se sente ligado a ela. É tipo amigo de infância que você pode ficar anos sem ver, mas quando se encontram não falta assunto.
Gosto de ouvir as historias das pessoas, seus medos, frustrações, arrependimentos, alegrias. Mas acho que o resumo de todos nós é o mesmo: as experiências que vivemos ao longo de nossa historia, as escolhas que fazemos e uma dúzia de pessoas que conhecemos e que realmente fizeram a diferença.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

A espera de uma cura



Mais de 10 dias com alergia. Duas idas ao pronto socorro, três injeções e mais de R$60,00 em remédios e nada de ficar sã.
Estranho de um dia pro outro desenvolver uma coceira na pele e uma inflamação na garganta que não passam de jeito nenhum.
Mas o pior é ir ao medico em busca de respostas e voltar com mais perguntas. Cada médico passa a sua receita e desqualifica a anterior. Não há coerência entre um e outro, curioso isso!
Paralelamente a isso eu mesma vou tentando achar um fim pra isso. Se alguém tiver uma dica, por favor me fale, já não agüento mais! Só não vale falar que eu preciso de banho hehe.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Feliz 2010!!

O carnaval acabou. A Rosas de Ouro ganhou aqui em São Paulo com o chocolate, a Unidos da Tijuca ganhou lá no Rio com truques de ilusionismo. Os corintianos, como sempre, arrumando confusão. Enfim, o ano começou!
E nesse ano há alguns atrativos especiais. Ainda no primeiro semestre teremos a Copa do Mundo na África do Sul. Será a primeira vez que o continente africano sediará o campeonato, a nossa busca pela hexacampeonato.
O segundo semestre promete fortes emoções já que teremos eleições para presidente, governador e senador. As forças estarão polarizadas entre PT x PSDB; Lula x FHC; Dilma x Serra; Vermelho x Azul rs. E tudo isso com direito a marqueteiro do Obama, comparações entre governos dos dois partidos, alianças pouco convencionais, sem falar no partidarismo da grande mídia em favor do Serra. Segurem-se nas poltronas, pois a briga promete ser boa!
Aliás, esse lance da mídia é um caso a parte. Vai desde a dor de cotovelo pela popularidade nacional e internacional do Lula e chega à beira da especulação de apoio a políticas antidemocráticas.
Seria mais coerente por parte desses grupos a declaração formal de apoio a um candidato - como é comum nos Estados Unidos – ao invés de se intitularem de imparciais, mas depois ficam tentando manipular as informações ao seu bel-prazer.
Então já sabem, não dá pra perder nenhum capitulo dessa novela mais que interessante que é a nossa política. Estejamos atentos para uma boa escolha!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Estreia ( sem acento!)

Bem vindos ao meu blog, um espaço particularmente reservado para a expressão das impressões e divagações acerca do cotidiano.

Espero ter tempo de sempre deixar alguma coisa por aqui. Vai ser uma boa ferramenta de desabafo também rs. Pelo menos aqui vou poder escrever tudo o que eu penso.

Quem quiser também pode deixar comentários, criticas ou sei lá o que, só não vale me chamar de corintiana (esse é o pior dos insultos kkk).

Brincadeiras a parte, é isso. Fiquem a vontade!

Pra não ficar só nisso, vai ai um poema muito foda de Adélia Prado, espero que gostem!

Com licença poética

Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta,
anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me
cabem,
sem precisar mentir.
Não tão feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem
dor.
Mas o que sinto escrevo. Cumpro a
sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
— dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição
pra homem.
Mulher é desdobrável.
Eu sou.